tenho andado fora

 

Trabalhar para uma multinacional tem vantagens: a questão da indumentária, para quem tem funções de back-office, é um não-assunto na empresa; basicamente, as pessoas vestem o que querem (dentro de um registo humanamente aceitável) desde que produzam o que a empresa espera delas. Para mim, que pouco tempo e vocação tenho para fazer de executivo metrossexual, é uma bênção. De igual modo, receber directivas que fazem sentido ao contrário de obedecer à vontade pluripotenciária e caótica do empresariado local, que por vezes age como se tivesse sido ungido pela divindade da Gestão e futurologia, faz-me bem ao amor-próprio e à estrutura sináptica do córtex frontal.

Uma das desvantagens do multinacionalismo anónimo é o facto de se ter de viajar por todo o lado, pernoitando em terras e camas estranhas, dias a fio, para estar presente em reuniões infindáveis ou participar de projectos que podem nunca chegar a ver a luz do dia. Não é que não goste de viajar, ou sequer e viajar pela empresa. Acho, outrossim, que as pessoas a quem descrevo o meu percurso têm uma visão fantasiosa do que é uma viagem de negócios, e que essa visão envolve comezainas no melhor tasco local, bebedeiras, drogas e mulheres e outras coisas que serão verdade em certas empresas e certos cargos, mas que, no caso em apreço, não passam de delírio cinematográfico. A verdade é que um escritório em Barcelona, Paris ou Milão, não é diferente de um escritório em Lisboa. Tampouco a rede, o trabalho ou mesmo o ar condicionado. Tirando a comida e o café, tudo está democraticamente normalizado.

Nas últimas semanas tem sido muito disto (viajar em trabalho) e pouco tempo passado cá no burgo. As notícias que colho pela internet fazem-me às vezes pensar que estaria melhor lá fora. Não fora o Gui, as saudades que dele tenho quando me desloco, e a assistência que lhe tenho que prestar para que se reponha algum equilíbrio na equação pós-divórcio das responsabilidades parentais, e tenho quase a certeza de que já não estaria aqui, agora.

E há tanto por fazer quando regresso, que estou permanentemente cansado, até para escrever aqui, facto pelo qual peço desculpas. O Gui está bem, graças a deus, e se alguém souber de uma boa táctica para lavar-lhe os dentes sem que ele morda e mastigue a escova, está à vontade para partilhá-la.

Publicado em autismo. 17 Comments »

17 Respostas to “tenho andado fora”

  1. Andreia Says:

    Huum, vida de saltimbanco não é fácil. Tirando o hipnotismo não há grandes tácticas para uma escovagem de dentes em condições. O melhor que já me lembrei, e que mostra bem o meu desepero, é colocar 2 dedos de uma mão no meio dos dentes enquanto a outra escova. No fim, retiro o que resta dos dedos. bjs

    • Pai Says:

      “retiro o que resta dos dedos” ahahahahahahah, obrigado pela difícil risada matinal de segunda-feira!🙂

  2. Mina Says:

    Aahahah alguém sem dedos:-)
    Vi este artigo não sei se resulta:http://autismoencanta.wordpress.com/2012/04/19/terapia-da-escovacao-protocolo-wilbarger/
    Beijinhos boas estadias aqui e acolá

  3. M. Says:

    Oh Pai, é bom saber de si! Ainda bem que estava em trabalho🙂 tinha pensado que estava mesmo em estado depressivo grave…
    Em relação ao escovar e não comer a pasta, bem, já tive esse problema e já resolvi (tenho lá no blog um exemplo): fiz um calendário com espaços e de cada dia que as piolhas me deixassem que lhe lavasse os dentes, elas colocavam um carimbo. E era essa a recompensa. Agora já não precisam de carimbos mas andámos uns 2 ou 3 meses, diariamente a carimbar espaços num calendário… Ah, inicialmente, eram elas que escovavam os dentes sozinhas. Eu só passei a controlar a situação e a escovar por cima, semanas depois.
    Quanto ao comer a pasta, elas não cospem a pasta… Verdade ou não, optei por nunca lhes dar dentífrico do nosso nem comprar em supermercados, Compro uma na farmácia com uma quantidade ridiculamente pequena de flúor e não fico preocupada com a quantidade que engolem ou se lhes fará mal…

    Sinceramente, não sei se resultará com o Gui, mas acho que não custa experimentar se ele deixar. E talvez ele até goste…
    Já agora, o Gui sabe assoar-se? As minhas não sabem e não sei como lhes ensinar… Faz-lhes muita confusão o “soprar” pelo nariz… E não o fazem.

    Um beijo grande cá da malta do t2.

    • Pai Says:

      Obrigado pela sugestão, mas o Gui não responde a esse tipo de estímulos, é não-verbal e tem imensas dificuldades em comunicar-se (e a entender-nos :)) acho que vou experimentar a coisa do dedo sugerido pela Andreia, a ver se sobrevivo ou fico dedeta. O Gui não se assoa e parece que estamos a anos-luz de conseguir tal proeza🙂

      • Andreia Says:

        Ah ah ah! Boa sorte, não dói assim tanto. Já agora, a Cathy tb não se assoa😦 é sempre uma chatice no Inverno, ainda tem de ser uma batalha campal com água do mar e Narhinel mas depois eu sei que ela se sente aliviada e eu enfatizo a sensação de bem estar que ganhou com aquela guerra. (e ela própria começa a facilitar a tarefa com a continuação, o pior é que passa o Verão e esquece novamente, voltamos ao zero)

  4. Rainbow Mum Says:

    Welcome back! E não se atreva a desaparecer mais assim por tanto tempo! Tal como a M. já pensava que estava numa fase menos boa…

    Quanto ao escovar os dentes felizmente nunca tive esse problema pois o meu piolhito adora especialmente porque lhe compro umas escovas de dentes todas catitas com bonecada… Digo-lhe que os bichinhos comem os dentes se não lavar e mostro-lhe um dente que me falta atrás na boca e que foram os bichinhos que comeram🙂 Isso deixa-o tão preocupado que agora até é ela que vai a correr depois do jantar lavar… Eheheh.

    O assoar o nariz M, o meu tb não consegue…

    Beijinhos

    • Pai Says:

      Obrigado !🙂 Como disse agora mesmo à M., o Gui não percebe muito do que dizemos e não se exprime verbalmente, pelo que esse tipo de incentivos não são passíveis de serem aplicados. Vou experimentar o dedo, e seja o que Deus quiser. O assoar é um objectivo que temos para 2020🙂. Beijinhos.

      • Rainbow Mum Says:

        E verdade pai ontem lembrei-me de si. Uma mae do grupo amantes de saturno do facebook contou que o filho comecou a dizer algumas palavras, disse esta semana 5. O menino tem 10 anos!!! Fiquei super feliz pois como pode ver ate com essa idade e possivel começar a falar. No outro dia outra mae disse que na consulta de Coimbra lhe contaram que o menino mais velho que comecou a falar tinha 15 anos. Beijinhos

      • Pai Says:

        Fiquei tão feliz ao ler isso que nem lhe consigo transmitir. Dizem-nos sempre que estamos a chegar à idade-limite, e que cada dia que passa sem ele falar é uma confirmação mais de que não o fará. Espero que não. Espero que possamos ser agraciados com um pequeno milagre. acho que merecemos. Beijinhos, muitos!

      • Pai Says:

        Poderia dizer-me quem foi essa mãe? talvez nos pudêssemos contactar via FB? Teria muito interesse.

  5. Rainbow Mum Says:

    Claro que sim! Não sei se está inscrito no Grupo Amantes de Saturno. Se não está aconselho-o vivamente. Estão lá pais de todo o tipo de meninos no espectro, Aspergers, verbais, não verbais…Tenho aprendido imenso com outros pais e tem sido uma experiência muito boa. Pelo menos sentimos que não somos os únicos a passar por isto… E podemos sempre pedir conselhos.

    Este é o link da página da mãe que lhe falei que o filho agora com 10 anos está a dizer as primeiras palavras: http://www.facebook.com/#!/mimosdomiguel.miguel. Sei que eles implementaram recentemente o Sonrise e parece que está a dar bons resultados… Não acredito em terapias milagres mas esse tipo de abordagem, pela Play Therapy pode ser muito eficaz em alguns casos.

    No dia 18 de Abril ela comentou: “Bom dia já , há muito tempo que não partilho nada em relação ao Miguel apesar se os avanços terem sido imensos mas eram coisas que fazem sentido quando vistas não da para descrever certas coisas que ele já faz ou já não faz , mas ontem ao jantar sem nada que o pudesse prever , o meu Miguel estendeu o copo e disse(((( MA ,Ag )))que eu e o pai ficamos a olhar para ele feito parvos , que quem reagiu foi a mana , Mas nos acabamos de ganhar o maior prémio do mundo , de uma forma espontânea ele chamou por mim , estou nas nuvens yeeeeeesssss”

    No último Domingo postou: “(…) tenho uma exelente noticia para todos ,preparados aqui vai
    O MIGUEL JA DIZ 5 PALAVRASSSSSSSSSS ;(MAE ,AGUA,PAO,QUERO,SIM)portanto com noticias tao boas so e posso e sorrir e andar para a frente ,CERTO?????????? bjks para todos e bom domingo,espero que gostem da novidade……”

    Não é fantástico???? Fiquei tão feliz!!!!!

    A outro mãe que lhe falou o filho é seguido em Coimbra, e conheço-a pessoalmente. O menino tem 7 anos, creio e também é não verbal. Foi ela que disse que em Coimbra lhe falaram de um menino que começou a falar com 15 anos! Aqui vai a página dela: http://www.facebook.com/#!/mariajoao.aguiar.1

    Já ouvi outros casos em que apesar de não conseguirem falar verbalmente, começaram a aprender a comunicar por escrita.

    Pai, não desista a sério. Continue sempre a tenta pois se há casos em que isso acontece há que pensar que acontecerá com o Gui também, certo? O Gui tem 8, não é?

    Beijinhos aos 2.

    • Pai Says:

      Fico sempre muito feliz com a evidência de “milagres” alheios. Eu estou nesse grupo “amantes de saturno” (acho). Tenho de ver melhor. Em todo o caso, nunca se desiste, no máximo aceita-se. Se calhar posso vir a aceitar e depois ser surpreendido. Espero que sim.

  6. M. Says:

    Oh Pai, não se deixe deitar abaixo com essa história da idade limite… Surpresas há sempre! E os limites também se excedem… E eu acredito que o Gui vai acabar por verbalizar alguma coisa, por mínima que seja. Não conheço pessoalmente nenhum caso como o do seu Gui mas o terapeuta que segue as piolhas acho que conhece. Se não se importar, vou recomendar-lhe o seu blog e ver se lhe consigo algo com pais em situações semelhantes.
    Este fim de semana vou estar numa formação “Affect-based Language Curriculum” de Diane Lewis que, apesar de se basear em floortime e dedicar o seu trabalho a crianças menores de 4 anos, tem muita experiência com não-verbais. Vou aproveitar para lhe colocar algumas questões e transmitir-lhe-ei o que puder…

  7. M. Says:

    Vai ser na Lousã (Coimbra) este fim de semana, sábado e domingo todo o dia. Tenho informação mais detalhada lá no meu cantinho… É uma metodologia nova mas baseada no floortime e mais voltada para crianças, principalmente não-verbais, até aos 3 ou 4 anos. Faço parte da organização e, por isso, acabo por assistir, pois é muito cara (450 euros…)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: