A énesima reportagem sobre autismo em Portugal

 

Tudo isto é importante, mas tudo isto é também muito repetitivo e sinto-me como se a notícia fosse uma espécie de réplica de uma reportagem que no fundo se repete, quando o que precisamos, mais do que da divulgação constante e informada do assunto que todos os dias nos pesa num silêncio de cruz, é de acções, de apoios, de Estado, que está tão presente em tantas coisas, tão interventivo, nas autarquias, nos ministérios, no sal do pão, e tão ausente disto, das terapias, das ajudas, recebemos uma miséria de cento e poucos euros que são a combinação de três (três!) subsídios distintos para uma criança que sorve recursos na ordem dos 500 euros mensais só em terapias e não me chega o Correio da Manhã interessar-se em preencher uma página de histórias de silêncios, de avanços e recuos, de solidão, quero mais, mereço mais, é aqui que o Estado Social deve intervir, com todos os recursos possíveis, e não na criação de uma classe de subsidio-dependentes que vote sempre para o mesmo lado porque podem ganhar, podem ser eleitos e legislar sobre o rectângulo como sempre sonharam desde que tinham doze anos e liam o diário da República mas não serão melhores, não nos tornarão melhores e se lhes derem o nome de uma rua daqui a uma vintena de anos, é uma sorte e não a merecem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: